quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

CABEÇA DE REI É LEILOADA EM PARIS

A decapitação e o envenenamento têm sua marca presente na história de reis e eminentes do mundo político. Que o digam os antigos romanos, os modernos franceses (Idade Moderna) e alguns contemporâneos brasileiros, como Lampião e seus asseclas.

Henrique IV (1553 - 1610), foi o primeiro rei francês da dinastia dos Bourbon. Protestante, depois se converteu ao catolicismo romano, provavelmente por conveniências políticas. Teve um mandato relativamente curto, quando comparado a outros reinados.

Depois que se converteu ao catolicismo, praticava as liturgias de praxe, dentre as quais as procissões. Foi exatamente em uma destas festas que fora assassinado à traição, depois de ser apunhalado (provavelmente no pescoço).

Seguindo a tradição da época, teve seu corpo embalsamado e depois enterrado na Catedral de Saint Denis, erguida no século VII. Após 1793, com a Revolução Francesa, teve a cabeça decapitada e roubada por vândalos, que tiveram o cuidado de desenterrar outros monarcas franceses.

A partir de então o destino do órgão decapitado do rei se tornou um mistério. Enquanto o restante de seu corpo repousava, a cabeça perambulava de mãos em mãos, alguns dos quais provavelmente colecionadores. Em 1900, ela fora adquirida em um leilão realizado em Paris e, finalmente em 1955, caiu nas mãos do último possuidor.

Recentemente, em 2010, uma equipe de especialistas franceses comprovou, depois de nove meses de pesquisa, que a cabeça encontrada (estava em quase perfeito estado) faz parte do corpo do rei Henrique IV.

Segundo a equipe, duas marcas, uma no nariz e outra na orelha (ele usava brincos) foram fundamentais para a identificação. Em 2011 será realizado um pomposo funeral, com direito à missa e tudo mais, e em seguida a cabeça do rei voltará ao lugar de onde fora decapitado.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário