sábado, 1 de janeiro de 2011

A CONTAGEM DO TEMPO ... NÃO DEVERÍAMOS ESTAR EM 2011

O início da contagem do tempo pelo ser humano é incerto, sendo certo, porém, que muitos povos tentaram, de forma peculiar, estabelecer medidas nesse sentido, de modo que houve variações de uma cultura para outra.

Em se tratando de Ocidente, desde a Antiguidade o dia estava dividido em 12 horas, bem como a noite também.

Na Idade Média, por exemplo, intervalos muito pequenos - como os segundos - eram simplesmente ignorados. Os minutos, pouco considerados. As horas, por sua vez, eram grosseiramente contabilizadas, sendo as velas, as ampulhetas, os relógios-d'água e a observação do Sol os meios mais utilizados nesse sentido.

Com relação às horas, apenas o Clero, por uma necessidade litúrgica, é que estabeleceu um maior controle sobre as mesmas, embora o fez contando-se o tempo de três em três horas, a partir da meia-noite, cujo método escapava ao praticado pelos judeus, que contavam as horas a partir das 6 da manhã - daí o porquê da Bíblia afirmar que Jesus morreu à hora nona, ou seja, às 15 horas.

Somente no século 14 é que foi possível ter maior precisão da medição do tempo, quando surge o relógio mecânico, que, por sinal, só tinha o ponteiro das horas.

A contagem da semana contendo sete dias só foi oficializada no Ocidente a partir do século 4. Nos séculos X-XII o ano começava no Natal, pelo menos nos países cristãos.

O conceito de Era Cristã ocorreu somente a partir de 525 d.C., cuja proposta partiu do monge Dionísio, que era matemático e astrônomo.

O marco inicial para essa contagem seria o nascimento de Jesus Cristo (Anno Domini, o ano do Senhor), daí o porquê da abreviatura "A.D." logo após a escrita de uma data em nosso calendário. Depois houve o aportuguesamento de tal abreviatura para "a.C." e "d.C.", significando, respectivamente, "antes de Cristo" e "depois de Cristo".

No dia 15 de outubro de 1582, uma sexta-feira, foi oficializado o Calendário Gregoriano, nosso atual calendário. A transição do antigo calendário (Juliano) para o Gregoriano exigiu a supressão dos dias 5 a 14 de outubro do referido ano, cujas datas não constam oficialmente da história onde é empregado o dito calendário. Ou seja, ninguém nasceu, ninguém morreu, nada aconteceu naqueles dias, porque simplesmente eles não existiram, pelo menos no papel.

Posteriormente foi constatado que o Calendário Gregoriano cometeu um erro que varia entre 5 a 8 anos. Em termos claros, Jesus nasceu "antes de Cristo" mais ou menos 6 anos. Assim, não deveríamos estar no ano 2011.

O Calendário Gregoriano foi acatado de forma gradual, levando vários séculos para ser oficializado nos vários países cristãos. Atualmente os países muçulmanos e judeus não adotam nosso calendário.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário