domingo, 7 de novembro de 2010

O LENTO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE PESOS E MEDIDAS NO BRASIL

O século 19 trouxe muitas novidades para a sociedade da época. Uma delas foi o Sistema Métrico Decimal, que embora não tenha sido implantado no Brasil no mesmo século em que fora criado (final do século 18), acabou sendo, de forma lenta e tumultuada, adotado no país. Abaixo, os bastidores de alguns fatos dignos de nota, inclusive o quebra-quebra que houve no Nordeste por causa da lei brasileira que tratava sobre o caso.

Antes de ser implantado, havia uma verdadeira confusão por causa da falta da uniformização de medidas, tanto que na Europa muitos camponeses se levantaram contra os padrões adotados por seus senhores, que detinham o monopólio das medidas.

A década de 1830 foi um marco na luta pela implantação do Sistema no Brasil. Havia muita relutância porque o projeto para adotar o sistema de pesos e medidas trazia textualmente que ele seria importado da França. Naquela época havia, no Brasil, por parte de muitos, uma ferrenha rejeição ao francesismo.

Os dois primeiros artigos do projeto diziam que o governo estava autorizado a importar da França o sistema em questão, bem como a adotar todos os meios necessários para sua efetivação.

Mas o projeto não vingou. Aproximadamente 20 anos depois o ministro da Fazenda adotou, oficialmente - ao contrário do esperado -, a polegada, o palmo, a vara, o grão e a arroba como elementos de medidas no país. Somente no início da década de 1860 é que o país passaria a adotar, de vez, o padrão universal de pesos e medidas.

Mas o Nordeste brasileiro não se entregou facilmente, não! Há registros de que depois de uma década que a lei estava em vigor, em vários estados nordestinos a população promoveu um verdadeiro quebra-quebra de balanças e outros objetos que eram adotados nas feiras pelos simpatizantes da nova lei.

O governo foi enérgico e somente 30 anos depois da lei em vigor é que os revoltosos acataram a determinação legal.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário