sexta-feira, 29 de outubro de 2010

A TRANSIÇÃO DO PENICO PARA O VASO SANITÁRIO

O penico, que é bem mais antigo do que o vaso sanitário, foi criado para as mulheres, embora fosse utilizado por homens também. Dizem, por sinal, que o penico chegou a ser usado inclusive durante as missas realizadas no século 17 por um famoso padre francês, pois seus sermões, de tão demorados, faziam com que as mulheres disfarçadamente se utilizassem do valioso objeto.

Na Roma Antiga já havia banheiros públicos, embora fossem a céu aberto e sem divisórias, cujas construções eram sempre próximas aos córregos, para que os usuários pudessem se lavar em seguida.

Somente na segunda metade do século 16 é que surge o vaso sanitário, invenção de um poeta e tradutor inglês, que construiu em sua casa um dos aparelhos.

O projeto ficou tão famoso - embora incialmente não aceito - que a rainha da Inglaterra (Isabel I, filha de Henrique VIII e Ana Bolena) se deslocou à casa do poeta para conferir de perto a promissora invenção. De início a rainha rejeitou veementemente o vaso sanitário, pois o considerava imoral demais, mas acabou cedendo e encomendou um para o palácio.

Mas a moda não pegou, mesmo tendo a rainha à frente.

Inglaterra, França e Portugal não aprovaram a invenção e até o século 19 o jeito era atirar pela janela os dejetos, daí a frase "lá vai água!", comum na época em Portugal.

Somente três séculos depois é que estes países passaram a adotar o vaso sanitário, quando finalmente privadas e banheiros passaram a ser instalados dentro das casas, cujas práticas acabaram gerando dois avanços em matéria de saneamento básico, no caso os esgotos e o uso do papel higiênico.

E por falar em papel higiênico, os primeiros rolos surgidos na segunda metade do século 19 continham impressa uma sugestiva propaganda: "Macio como linho antigo".

.

2 comentários:

  1. vistem o nosso site www.bombeirohidraulico.com tem tambem la uma parte da historia dos bombeiros

    ResponderExcluir