terça-feira, 19 de outubro de 2010

INIMIGOS DE MICHELÂNGELO CONVENCERAM O PAPA A CHAMÁ-LO PARA PINTAR A CAPELA SISTINA

Não somente quem é católico, como também muitos outros crédulos e incrédulos já ouviram falar da famosa Capela Sistina, localizada no Palácio Apostólico, residência oficial do Papa.

Michelângelo e outros artistas renascentistas tiveram seus dedos na referida obra. Mas ao que tudo indica o artista em questão não trabalhou de bom grado na megaobra, tanto que levou dois anos para iniciar os trabalhos.

Ocorre que o artista estava queixoso do papa. Isto mesmo. Ele se sentiu traído. Vamos aos fatos.

Em 1505 ele estava envolvido na construção do túmulo do papa e estava tão obstinado que permaneceu oito meses na Toscana cavando mármores e as enviando para Roma.

Quando a praça de São Pedro já continha muito mármore, outro escultor convenceu o pontífice a não somente refazer o túmulo como também a reconstruir a praça. E o mais interessante é que o novo escultor seria o próprio (quem convenceu o papa) a trabalhar na obra que até então era incumbência de Michelângelo.

O pontífice aceitou e dispensou os trabalhos de Michelângelo, que ficou cheio de mágoas e de dívidas. O artista então fora convidado a pintar a Capela Sistina, cujo convite não foi bem aceito pelo pintor, que protelou até o convite se converter em uma ordem.

Sem saída, Michelângelo se empenhou na obra. Seu rancor se devia, também, porque ele considerava a pintura uma arte de segunda categoria, uma vez que ele próprio se autodefinia como um escultor e não como um pintor.

Mas era o talento e o nome de Michelângelo que estavam em jogo: o artista deu o melhor de si e produziu, sem dúvidas, uma invejável obra de arte.

Segundo os discípulos e biógrafos de Michelângelo, foram seus inimigos que convenceram o papa a chamá-lo a pintar a Sistina. Não sabiam eles que dariam no que deu.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário