segunda-feira, 11 de outubro de 2010

D. PEDRO II SOFREU UM ATENTADO QUANDO SAÍA DO TEATRO

O fato adiante não é divulgado nem pelos livros de história nem foi do interesse do imperador que o mesmo se tornasse conhecido do grande público. Mas é certo que D. Pedro II sofreu um atentado aqui no Brasil.

O episódio ocorreu no Rio de Janeiro, no dia 15 de julho de 1889, portanto quatro meses antes dele ser deposto pelos militares brasileiros.

O atentado foi um marco na história do Brasil, uma vez que até então nenhum chefe de Estado brasileiro havia sofrido um atentado.

Naquela época o clima era tenso e o país vivia uma grave crise política. A Monarquia estava prestes a desmoronar, e, assim como em épocas de campanha eleitoral, havia brasileiros e estrangeiros interessados na chegada da República enquanto outros na permanência da Monarquia.

No dia anterior ao atentado, grupos de estudantes entraram em conflito com a Guarda Negra (formada por libertos), uma vez que os ditos estudantes (republicanos) pretendiam comemorar o centenário da Revolução Francesa, evento não desejado naquele período conturbado.

No momento do atentado o imperador saía de um teatro no Centro do Rio de Janeiro, quando ouviu um grito de "Viva a República", e em seguida um jovem sacou uma arma e atirou na direção do imperador.

A bala não o atingiu e o responsável pelo atentado fora preso horas depois. Tratava-se de um caixeiro português que estava desempregado. Embora tenha sido apontado como culpado, depois de manifestações de solidariedade, D. Pedro II tratou de minimizar o episódio, e alegou que o tiro não teve motivação político.

Uma semana após a proclamação da República o caixeiro fora julgado e absolvido.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário