domingo, 12 de setembro de 2010

PADRE APOSTA A PRÓPRIA VIDA EM JOGO DE XADREZ

O xadrez se tornou popular na Europa a partir do século 15. Foi nesse tempo que os italianos e espanhóis decidiram mexer nas regras, de modo que a dama pudesse se mover em todas as direções.

Não havia nenhuma peça cujo nome estivesse ligado ao sexo feminino, mas, em respeito à mãe de Jesus, Maria (segundo a Bíblia), decidiu-se chamar uma das peças de rainha.

A primeira grande disputa internacional se deu entre um padre espanhol e um italiano, cujo jogo aconteceu em Madri, Espanha.

Os dois jogadores eram famosos por serem reconhecidamente bons na arte de jogar xadrez. Acertou-se que o vencedor de três partidas consecutivas seria o vitorioso da disputa.

O padre, frequentador da corte espanhola, era então o melhor jogador do país e foi escolhido pelo monarca para representá-lo na disputa com o italiano. O vencedor seria agraciado com um pomposo prêmio em dinheiro oferecido pelo rei espanhol.

As três partidas seriam realizadas na presença do rei. Assim foi feito. A primeira partida fora vencida pelo italiano. Na segunda, pensando revidar a derrota, o padre fora novamente surpreendido e acabou perdendo. Só restava uma.

Apreensivo, o rei retirou-se do ambiente pois temia que seu jogador, o padre, perdesse a última partida e enfim, a disputa. Mas o sacerdote rogou ao rei que não se retirasse e que assistisse ao jogo até o fim. O padre chegou a prometer ao rei que reverteria a surra e, caso perdesse, daria a própria vida em troca, de sorte que o rei estaria autorizado a matá-lo.

O sacerdote acabou perdendo a terceira partida e portanto, a disputa. Entregou-se para ser morto, mas o rei se negou a cumprir o combinado.

O xadrez virou mania na Europa. Em Paris, homens como Rousseau e Voltaire costumeiramente frequentavam uma famosa casa de jogo. Napoleão também era um apaixonado pelo xadrez, assim como muitos outros nomes conhecidos da história mundial.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário