terça-feira, 7 de setembro de 2010

OS BASTIDORES DO RELACIONAMENTO DO REI HENRIQUE VIII COM ANA BOLENA

Não é surpresa para ninguém o fato de um rei ter amante. Nem mesmo o fato dele abandonar a esposa por causa dela. Menos comum, no entanto, é, além disto, ele mudar de religião, romper com o papa, fundar uma nova religião e, por fim, manchar as mãos de sangue por causa desta mesma mulher.

Abaixo, os bastidores do relacionamento entre Henrique VIII e Ana Bolena, conhecidos personagens da História, embora pouco conhecidas sejam as minúcias deste evento que marcou a história da Inglaterra.

Duas versões são as mais aceitas para o envolvimento dos dois: uma delas afirma que a amante teria jogado seus dotes de sedução para cima do rei. A outra, que o rei teria passado alguns anos tentando conquistá-la, mesmo diante da negativa de Ana, que só aceitaria o romance se ele prometesse se casar com ela.

O rei estava completamente apaixonado. Historiadores noticiam que em uma das cartas que ele teria enviado para ela, dizia estar esperançoso de que brevemente beijaria os seios da pretendida. Isto sugere, pelo menos, que Henrique VIII foi paciente e evitou usar de seu poder para forçar o relacionamento, embora ele carregue em seu histórico o fato de ter destruído o namoro dela com um servo de um cardeal, que teria proibido o referido namoro a pedido do rei.

Casaram-se com a autorização de um bispo, depois que ela engravidou, ainda que isto tenha custado o rompimento do rei com o papa e proporcionado a fundação da Igreja Anglicana.

Casada com Henrique VIII, Ana Bolena pulou a cerca. Passou a se relacionar com um dos músicos da corte. Curioso foi a forma como os adultérios de Bolena chegaram ao conhecimento do rei. Uma amiga íntima de Ana teria sido pressionada pelo irmão a confessar possível adultério dela (da amiga). Sem saída, ela teria dito que pior era o caso de Ana, que tinha um romance com o músico da corte, que acabou confessando para o rei ter dormido com ela pelo menos três vezes.

Henrique VIII a acusou de ter sido amante de cinco homens. Na sexta-feira do dia 19 de maio de 1536, Ana Bolena foi decapitada. Assistiu à sua última missa e em suas últimas palavras ainda elogiou o rei, provavelmente para evitar perseguições à sua família. Dez dias depois, o rei - que não era nada higiênico -, casou-se com uma nova amante, que finalmente lhe deu um herdeiro do sexo masculino, um dos seus sonhos.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário