quarta-feira, 1 de setembro de 2010

MULHER ACUSADA DE ALICIAR SEXUALMENTE MENINA DE 11 ANOS É CONDENADA A DESFILAR NUA PELA CIDADE

O fato aconteceu na França, depois da Revolução Francesa. Enquanto na Holanda os homens que fossem flagrados em prostituição poderiam pagar uma pesada multa, na França eram as meretrizes e as aliciadoras do sexo que levavam a maior dureza: as punições estavam associadas à humilhação pessoal.

Uma das agenciadoras (ou cafetinas) foi acusada de aliciar uma menor de 11 anos para que a criança emprestasse seu corpo à prostituição. Como punição a cafetina fora condenada ao castigo público: montar nua e de costas sobre um burro e percorrer as ruas da cidade. Em seguida viria o banimento.

Embora as punições pelo Estado fossem rigorosas, a prostituição na Europa nos séculos XVIII e XIX eram uma realidade.

Registros policiais na França, em 1742, dão conta de um número crescente de mães que entregavam suas filhas à prostituição. Mal o dia começava e as meninas já estavam à mercê dos clientes.

Os principais clientes eram membros da nobreza. O filósofo e enciclopedista Diderot narrou em uma carta que um chefe de estado, de pequena estatura, decidiu, depois de beber umas e outras, tirar a roupa num prostíbulo onde se achavam muitas prostituas reunidas.

Acontece que o pequeno homem era superdotado em matéria de órgão genital e teria deixado todos os presentes constrangidos, menos as prostitutas, que passaram a rir, soltando gritinhos de admiração.

Muitas cartas dos séculos 18 e 19 revelam que a nobreza era de fato viciada em um prostíbulo. Abaixo, uma carta redigida por um famoso nobre e endereçada a uma cafetina, através da qual é fácil verificar os gostos e a frequência das visitas.

"Não posso deixar de convir, minha cara, que as moças que nos enviou eram deliciosas. O problema é que se fizeram de virtuosas envergonhadas e não quiseram prestar-se às fantasias da sociedade. (...) Para a quinta, vou precisar do bom e do melhor, daquelas bonitas e sabidas. O duque de Fronsac e o conde de G. serão meus convidados. Jé me entendeu, não é?"

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário