domingo, 26 de setembro de 2010

CLÁSSICO MUNDIAL DE LITERATURA INFANTIL PODE TER SIDO INSPIRADO EM CASO REAL DE PEDOFILIA

Certamente você já ouviu falar em Alice no País das Maravilhas, um dos clássicos da literatura infantojuvenil de todos os tempos. O livro fora publicado em 1865, por um escritor que assinava pelo nome de Lewis Carrol, embora este não fosse seu nome original.

O que dizer de um homem de 31 anos com interesses em uma menininha de 7 anos? Hoje certamente seria um caso de polícia. Não estamos falando da história do livro não. Ele confessou que ela foi a inspiração dele para escrever o livro, tanto que o título leva o nome da menina.

A garotinha de 7 anos, Alice Liddel, logo despertou a atenção do escritor inglês (que também era poeta e professor de matemática). Os dois tinham o hábito de passear juntos e sozinhos. Lewis gostava de sair com a garota para passeios de canoa, sem falar que também apreciava fotografá-la.

No começo a família dela não ofereceu nenhuma resistência à promissora amizade. O autor do clássico não escondia que Alice era sua musa inspiradora.

Em seu segundo livro, quando Alice tinha 19 anos, Lewis ainda prestou uma homenagem a sua musa. Dedicou-lhe um poema em que as primeiras letras de cada estrofe formam o nome da garota.

Quando ela tinha 11 anos os dois perderam o contato, por determinação dos pais dela. Alice se casou com outro homem (na vida real, claro) e teve três filhos. Quando o marido faleceu, aproveitou para vender o livro que tinha seu nome como título, a fim de sobreviver. Deu certo. Graças à obra conseguiu auxílio financeiro para sua sobrevivência e de seus filhos. Chegou, inclusive, a leiloar o valioso manuscrito para ganhar dinheiro.

Sem contato, o mentor de Alice no País das Maravilhas não se esquecia daquela menina que lhe proporcionou muitos momentos bons. Ele anotou em seu próprio diário que se lembraria dela para sempre "como aquela menininha de 7 anos completamente fascinante."

Acreditava-se que entre os dois rolou uma intensa paixão. Recentemente estas suspeitas estão perdendo crédito, uma vez que documentos deixados pela biógrafa dela apontam que o carinho de Lewis por Alice e suas irmãs se devia porque ele estava interessado, na verdade, era na governanta da casa.

O certo é que, até agora, a relação entre autor e personagem ainda tem muito a revelar.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário