quinta-feira, 30 de setembro de 2010

ATITUDES DE UM FAMOSO CHEFE DE ESTADO REVELAM SUA INTENÇÃO DE PROVAR QUE ELE ERA MAIS PODEROSO DO QUE DEUS

As duas histórias que serão narradas abaixo aconteceram com um falecido e conhecido chefe de estado e revelará que o ser humano é de fato capaz de cometer muitos absurdos para chegar e se manter no poder.

Tal político era um grande orador e tinha o dom de convencer os ouvintes num simples discurso.

Certa vez conseguiu atrair um grande público para ouvi-lo acerca dos problemas que envolviam seu país naquele momento histórico. Antes, porém, de iniciar seu discurso, um repórter entrevistou uma jovem que se achava entre os ouvintes e pediu para que ela o definisse.

Como resposta a jovem afirmou que ele era um sanguinário, um homem mau, um perverso. Após esta ligeira entrevista o político iniciou seu discurso, através do qual fora longa e intensamente aplaudido pelos presentes.

Imediatamente o mesmo repórter perguntou para aquela moça o que ela achava do referido político, depois de ouvi-lo. Ela teria dito que aquele homem era a solução para seu país.

Como se vê, a opinião da moça mudou somente com um discurso.

Em outra ocasião o dito político mandou alguns subordinados a uma escola onde havia somente crianças como estudantes. A equipe de subordinados entrou em cada sala de aula e proferiu um discurso às criancinhas. Em um dado momento foi pedido que elas fechassem os olhos e abrissem as mãos e pedissem para que Deus lhes enviasse bombons naquele momento.

As crianças assim fizeram. Depois pediram para que as mesmas abrissem os olhos e olhassem para as mãos para que comprovassem se de fato Deus havia enviado os tão sonhados bombons. Mas Deus fez silêncio: as mãos das crianças continuaram vazias, para decepção de todas.

Depois a mesma equipe pediu para que elas fechassem novamente os olhos e abrissem as mãos e pedissem para que o dito político providenciasse o milagre. Assim foi feito. Ocorre que enquanto as crianças se mantinham de olhos fechados, pessoas previamente determinadas para este fim colocavam bombons nas mãos das crianças.

O objetivo era mostrar que aquele chefe de estado era uma espécie de Salvador da Pátria, bem como passar a ideia de que as crianças deveriam ouvi-lo porque, além de poderoso, ele era bom.

O nome desse político é Adolf Hitler.

.

Um comentário:

  1. Adolfo Hitler, tinha um poder de persuasão muito forte, dizem que nos seus discurso inflamados,os seu ouvintes entravam em delirio, é tanto que ele levou a nação à ruinas.

    ResponderExcluir