terça-feira, 20 de julho de 2010

POLÍTICO BRASILEIRO FALA ERRADO PROPOSITADAMENTE PARA SEDUZIR ELEITORES MENOS ESCLARECIDOS

Todo político tem suas artimanhas para se sair vitorioso em uma campanha eleitoral. Disso ninguém duvida. Vale tudo mesmo: apertar a mão do trabalhador, prometer empregos, tapinhas nas costas, caminhar junto ao povo . . . e por aí vai.

Ninguém melhor do que os chamados políticos populistas para explicar bem como tudo isso funciona na prática. Então vamos resgatar um pouco a história de um dos políticos mais populistas que o Brasil já teve.

Ele foi governador por duas vezes, uma vez deputado e duas vezes derrotado para presidente da República.

Quando dava uma entrevista no programa "Palestra ao Pé do Fogo" - um precursor do atual "Café com o Presidente" - falava errado de propósito somente para atrair a simpatia do eleitorado do interior, pois pensava que seria compreendido pelos menos escolarizados.

Suas pérolas não param. Certa vez o presidente da República se dirigiu a ele a fim de saber as horas. Bajulador notório do presidente, respondeu o seguinte:

"As horas que o senhor desejar."

Habilidoso nos discursos, mas afeito à quebra do protocolo, costumava finalizá-los com alguma piada, de modo a levar os ouvintes a um momento descontraído (mas de olho no voto). Num desses discursos, onde estavam presentes grandes autoridades do país, resolveu inovar nas brincadeiras, com um certo exagero.

Perguntou ao público como se pronunciava em japonês o nome Eurico Dutra (presidente da República entre 1946 e 1951). Diante das respostas negativas, bradou em bom som:

"Chama-se Konku Nakara".

Depois encerrou o discurso dando gargalhadas.

O presidente da República a que nos referimos é Getúlio Vargas e nosso populista em questão é Ademar de Barros, que foi interventor, governador e deputado estadual paulista. Perdeu duas eleições presidenciais, uma para Juscelino e outra para Jânio Quadros.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário