sexta-feira, 9 de julho de 2010

CIÊNCIA X SOBRENATURAL: CONHEÇA DOIS FATOS HISTORICAMENTE DOCUMENTADOS QUE ATÉ HOJE INTRIGAM A CIÊNCIA NO MUNDO INTEIRO

Existiu um arqueólogo chamado Howard Carter, que foi o descobridor da intacta tumba do faraó Tutankhamon. No Egito ainda é firme a crença de que as antigas múmias são intocáveis, sob pena de severas punições aos transgressores.

O que você lerá agora é certamente muito intrigante, suscetível de reflexão, e merece ser encarado com todo o cuidado, para se evitar exageros, tanto dos crédulos como dos incrédulos.

A câmara funerária de Tutankhamon foi aberta no final da tarde de 17 de fevereiro de 1923. Dentre muitos objetos e outras preciosidades arqueológicas, havia uma inscrição que dizia o seguinte:

"A morte atingirá quem perturbar o sono do faraó."

Alguns meses antes do arqueólogo encontrar o sarcófago, o canário predileto do pesquisador foi morto por uma cobra. Os egípcios ficaram em sinal de alerta, pois sabiam que Carter estava em busca do faraó e viram no ocorrido um sinal de que muitas maldições estariam por vir.

E de fato muito coisa estranha aconteceu. Vamos aos fatos.

Um dos melhores amigos e sócio do pesquisador, que ao lado deste foi um dos primeiros a ingressar na tumba, morreu em seguida, picado por um mosquito. O Egito se alarmou.

No momento exato em que ele morreu, seu cão preferido, que estava na Inglaterra, morreu fulminado por um ataque do coração.

Outro arqueólogo, amigo de Carter, morreu inexplicavelmente no mesmo hotel em que estava hospedado o sócio de Carter.

O proprietário das primeiras fotos tiradas do faraó morreu em seguida, misteriosamente, cujo mesmo destino teve também o secretário do arqueólgo.

A irmã do sócio de Carter - que havia sito morto por um mosquito -, suicidou-se em seguida. A esposa de um lorde inglês que visitou a tumba também foi morta de maneira misteriosa.

Um médico que havia sido designado para fazer as radiografias na múmua também morreu repentinamente, sem motivo aparente.

Vários diretores de museus, médicos, arqueólogos e pessoas ligadas aos homens que visitaram a tumba tiveram o mesmo destino.

Os seguidos episódios despertaram o interesse dos meios de comunicação e dos espíritas, que chegaram a afirmar terem tido contatos espirituais com sacerdotes do Egito Antigo e alertaram para o perigo iminente.

Chegou-se a cogitar que o Titanic teria tido o destino que teve porque um dos passageiros carregava em seu camarote uma múmia que vivera no reinado de Amenófis IV.

Antes do descobrimento do corpo de Tutankhamon outro episódio chamou a atenção de muitos: em 1879 foi descoberta a múmia de um sacerdote egípcio. Nela encontrou-se a seguinte inscrição:

"A cobra que está sobre minha cabeça se vingará com chamas de fogo quem perturbar meu corpo. O invasor será atacado por bestas selvagens, seu corpo não terá túmulo e seus ossos serão lavados pela chuva."

Um colecionador que havia comprado a múmia foi esmagado por um elefante. Seu corpo foi abandonado e suas carnes e ossos dispersos pelas fortes chuvas que caíram sobre o local.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário