quarta-feira, 2 de junho de 2010

AS MULHERES QUE CONSIDERAM UM DEVER SAGRADO SEREM ESTRANGULADAS QUANDO SEUS RESPECTIVOS MARIDOS MORREM

Na segunda década do século XX o filósofo Wil Durant relatou um fato curioso acerca das esposas dos chefes fijianos (do Fiji, um país insular da Oceania).

Elas se sentiam no dever de serem estranguladas quando seus respectivos maridos morriam, cuja obrigação tinha conotação com o sagrado.

Consta que uma delas temeu ser sacrificada e acabou fugindo de seu dever. Arrependida, atravessou, durante à noite, um rio a nado só para se apresentar ao seu povo e dizer que estava arrependida pela deserção e que tinha voltado para concluir o sacrifício.

Ela contou ainda que sua fuga da morte havia sido por causa de um momento de fraqueza, e relutantemente pediu que fosse estrangulada.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário