terça-feira, 15 de junho de 2010

AS MAIS BIZARRAS CRENDICES SURGIDAS NA IDADE MÉDIA QUE CHEGARAM AOS NOSSOS DIAS

Em outra ocasião falamos da crendice (cujos resquícios chegaram aos dias de hoje) de que o espirro era uma forma de expulsar os demônios do corpo, daí ter surgido a frase "Deus te dê saúde", logo que alguém espirra.

Na Idade Média havia um costume católico de se construir as igrejas com a porta virada para o Ocidente. O objetivo era simples: ao entrar no templo, o fiel caminharia rumo ao Oriente, local onde nasce o Sol (portanto, Cristo) e onde se encontra o paraíso.

Durante a mesma Idade Média a Europa passou por grandes períodos de secas, o que gerava longas estiagens. Os religiosos mais entusiasmados encontraram uma forma de fazer com que a terra produzisse mais: no século XI, camponeses enterravam pedaços de hóstias consagradas para aumentar a fertilidade da terra.

Acreditava-se que o demônio estivesse arrodeando, 24 horas por dia, todas as pessoas que habitavam o planeta. Para se livrar do maldito, muitos fiéis copiavam versículos bíblicos e andavam dia e noite com tais versículos nos bolsos das roupas.

Não foi por menos que surgiu o hábito de deixar a Bíblia aberta no salmo 91. Muito comum nos dias de hoje.

Também tinham o hábito de arrancar pequenos fragmentos de relíquias, os quais conduziam igualmente nos bolsos. Orações de todo tipo e para toda serventia eram copiadas e memorizadas para uma eventual necessidade.

Ainda hoje no Nordeste brasileiro é comum tais orações.

Foi assim que surgiu a prática de se fazer um sinal da cruz com os dedos para desviar redemoinhos (também muito praticado no Nordeste do Brasil).

Outros objetos eram de grande serventia, como crucifixos, anéis e outras tantas formas de amuletos.

.

Um comentário:

  1. o povo medieval era um bando de BABACAs e IDIOTAS!!! cruz credão véi!!!!

    ResponderExcluir