segunda-feira, 31 de maio de 2010

PERSEGUIÇÃO À IGREJA: DOIS NOBRES ABANDONAM O CRISTIANISMO E DELATAM SUAS RESPECTIVAS NAMORADAS PORQUE ELAS NÃO NEGARAM A FÉ CRISTÃ

Até o final do império romano muitas foram as perseguições ao cristianismo. Não foram poucos os mortos pelo simples fato de serem cristãos, pela simples razão de se negarem a abraçar o paganismo romano.

Em 257 d.C., Valeriano, imperador de Roma, deu início a uma grande perseguição aos cristãos. Muitos são os registros de crueldades praticadas contra esses religiosos.

Havia duas jovens que se destacavam pela beleza, pela formosura, as duas filhas de um eminente cavalheiro romano.

As irmãs namoravam dois homens muito ricos, que também eram cristãos. Deflagrada a perseguição aos seguidores de Cristo, os dois rapazes temeram as crueldades e deliberaram pela renúncia ao cristianismo, pois temiam, ainda, que suas fortunas lhes fossem tiradas à força.

Os dois exigiram que suas respectivas namoradas também renunciassem à fé cristã. Ambas se negaram, mesmo diante da relutância dos pretendentes.

Resultado: os dois denunciaram as donzelas ao império, o que resultou na prisão das mesmas, que tiveram que comparecer perante o governador de Roma.

As duas foram mortas, e não negaram a fé em Cristo.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário