segunda-feira, 19 de abril de 2010

SEXO E PRAZER: NA IDADE MÉDIA PROPAGOU-SE A IDEIA DE QUE A SATISFAÇÃO SEXUAL ERA PECADO

Não restam dúvidas de que o cristianismo teve enorme influência na forma de pensar e de agir dos europeus medievais, cujos resquícios ultrapassaram continentes e chegaram até nós.

Esta postagem não é uma crítica a esse costume; visa, antes, à publicação do costume de um tempo histórico muito curioso.

Ainda hoje existem casais brasileiros que declaram ter feito sexo vestidos. Melhor esclarecendo: quando iam fazer sexo, a mulher se cobria com um pano e fazia apenas um buraco no referido pano (exatamente no local onde ficam os órgãos genitais) e ficavam todos em escuridão total.

Era pecado ver o corpo da mulher e tocá-lo por inteiro.

Havia quem acreditasse que se a moça se sentasse no assento onde o namorado estava, e se tal assento estivesse quente, ela engravidaria.

Outras, só em pensar em se agarrar com o namorado, também engravidariam.

O sexo era visto como um grande pecado e algo ruim para a mulher. Ela, a grande vítima, não tinha o direito de desfrutar do prazer no sexo, unicamente cumprir seu dever.

As mães evitavam conversar com suas filhas e os mitos e crenças perduravam século após século. O século XX, no Brasil, ainda colheu muito do que foi plantado nesses longos anos e em longínquas terras.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário