quarta-feira, 14 de abril de 2010

PADRE BRASILEIRO QUE ABUSAVA SEXUALMENTE DE SEUS ESCRAVOS FOI DENUNCIADO E CONDENADO PELO TRIBUNAL DO SANTO OFÍCIO A PENAS CRUÉIS

Muitos padres brasileiros eram "donos" de escravos no Brasil-Colônia. José Ribeiro Dias foi um deles.

Era padre em Minas Gerais, no século XVIII. Gostava de ouro e possuia dezenas de escravos.

Sua conduta sexual em relação aos escravos e a outros rapazes era vexatória e conhecida nas rondondezas. O referido padre gostava de fazer sexo com os escravos masculinos, sem falar que "dava em cima" de outros rapazes.

Não suportando mais a conduta do sacerdote, um de seus escravos o denunciou ao Santo Ofício, quando um dos representantes da Inquisição esteve em Sabará, Minas Gerais.

A pena foi cruel: levado a Portugal, além de perder o ofício, o padre foi obrigado a percorrer as ruas de Lisboa (1747) em um auto de fé, espetáculo público onde os condenados ouviam suas sentenças enquanto percorriam as ruas da capital portuguesa.

Teve os bens confiscados e obrigado a trabalhos forçados, por dez anos, nas galés do rei.

Decorridos sete anos pediu que fosse perdoado, pois se lamentava de exaustão e de doença.

Foi perdoado, mas morreu pobre e doente.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário