segunda-feira, 14 de setembro de 2009

OS ASTROS E A INFLUENZA A (H1N1): O QUE ELES TÊM EM COMUM?

Hoje é comum falar e ouvir a palavra influenza. A gripe suína, que se propagou rapidamente pelo mundo, é responsável direto por sua divulgação que, no português, significa 'influência', como é de se imaginar.

Na última curiosidade postada neste blog ficou registrado que o grande temor de que os demônios fossem os responsáveis pela gripe no ser humano levou este, na Idade Média, a criar expressões de cunho religioso, com o fim de se buscar proteção divina.

Todavia, essa crença é antiga e remonta ainda a épocas bem anteriores à Idade Média (mas foi nela que se chegou ao ponto máximo). Hipócrates (460 a 377 a.C.), por exemplo, é considerado o pai da medicina por ter sido - segundo registros atuais - o primeiro médico a dissociar as doenças do mundo sobrenatural.

Antes dele, porém, também já se acreditava na influência dos astros sobre o ser humano. Depois dele, também.

Coincidentemente, pelos idos da Idade Média, não somente se imaginava que as doenças eram causadas por espíritos maus, como também se acreditava e se ensinava que os astros poderiam influenciar poderosamente o ser humano, de modo que qualquer doença seria interpretada como sendo uma resposta negativa dessa influência astrológica.

Tal crendice chegou a ser tão forte e tão frequente, que, originalmente, a palavra influenza significou, portanto, que uma pessoa doente teria sido alvo de uma atuação dos astros sobre ela.

Ou seja, se Chico estava com gripe, Chico estava com influenza. Hoje, a dita palavra está diretamente ligada à gripe.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário